Notícias

Míldio da Vinha

12/05/2020

Originária da América do Norte o Míldio da Videira é a doença mais temida pelos viticultores, constituindo os seus danos um importante obstáculo para a produção vitícola.

O Míldio, doença muito importante para a viticultura, foi importada da América do Norte no final do século XVIII sendo a doença que mais preocupa os viticultores. Esta doença, manifesta-se sobre todos órgãos verdes da videira, folhas, flores, pâmpanos e cachos.

Nas folhas observam-se manchas translúcidas, a que chamamos de mancha de óleo, e na face inferior das folhas podemos observar umas frutificações brancas que correspondem à reprodução assexuada (conidios) do parasita.

Na Primavera, temos também sintomas que aparecem nos cachos, sobre a forma de frutificações brancas, conferindo um aspecto acinzentado, estado conhecido conhecido como “Rot Gris”. Nesta cepa, podem visualizar o estado conhecido por “ Rot brun”, que é a segunda fase do sintoma e a mais destrutiva da produção.

Temos também sintomas que aparecem sobre os ramos que podem provocar a sua queda. Trata-se de uma doença que geralmente enfraquece a cepa. O vigor da cepa é muito afectado e quando uma cepa é atacada pelo míldio durante vários anos pode mesmo originar a sua morte.